É possível que você já tenha feito esse questionamento. Mas para responder a essa questão, é importante lembrar que o medo é uma emoção inerente a todo ser humano, é indispensável conhecê-lo e em certos momentos inclusive encará-lo.

Uma vida sem nenhum tipo de medo ou desconforto decorrente dele seria imprudente, pois o medo assim como a dor são ferramentas evolutivas que protegem os seres humanos do perigo. Entretanto, quando o medo se transforma em limitações e atrapalha a qualidade de vida do indivíduo, é hora de equilibrar essa emoção.

Como quando se torna desproporcional e pode envolver também angústia constante, falta de perspectiva para o futuro e patologias como Síndrome do Pânico, Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), dentre outras.

Inclusive, em meu consultório, recebo diversos casos de pessoas que carregam problemas que se acumularam ao longo dos anos, por simplesmente não terem sido ensinadas a conhecer e até dominar seus medos. Por exemplo, dificuldades de se relacionar afetivamente, de confiar, de amar, de simplesmente ser quem é, por medo de errar, de ser julgado.

É importante fazer um alerta: a fuga impede a vida de acontecer, trazendo arrependimento e frustração. Sugiro que ao invés disso, mova-se em direção aos seus medos! Abra espaço para aprender mais sobre você e seus recursos.

Encarando o medo

Escolha conviver com pessoas que lhe despertem emoções positivas. Converse com elas sobre suas dificuldades, angústias e receios, você pode se surpreender e se identificar com os desafios que outras pessoas também enfrentam.

Faça terapia. Esse passo é essencial para viver bem em um mundo tão caótico como o nosso. Veja, você não está sozinho quando enfrenta a crise econômica, desemprego, realidades falsas promovidas por redes sociais, entre outras tantas coisas que fazem parte da nossa vida.

Além disso, recomendo meu livro “Chega de fugir do medo”. Nele, é proposto ao leitor uma viagem interna com o objetivo de reencontrar a si mesmo. Os temas encontrados no livro são o medo e a verdade editada; luta e fuga; embate da emoção e razão; relação entre emoções e doenças físicas e psíquicas; consciência corporal; como aprender a escutar seu corpo; e por último uma explicação sobre o porquê fazer terapia e a hipnose.

E bem, destaco a hipnose clínica como uma ótima forma de eliminar o medo. A técnica ajuda as pessoas a desenvolverem a consciência sobre si mesmos e assim superar fobias e outros desafios. O profissional hipnoterapeuta conduz o paciente para localizar a raiz do trauma. Pois quando conhecemos o problema, é mais simples resolvê-lo. Fica aqui o meu convite para você conhecer mais!

 

Compartilhar: