Em tempos de tanta volatilidade, tecnologia e exigências externas, dar conta de tudo se tornou um fardo para muitos. E onde estão os recursos que podem lhe ajudar nessa jornada? Em você.

Porém, alguém te ensinou a lidar com as emoções na infância? Depois de adulto, já teve conversas sobre seus sentimentos a respeito de assuntos do cotidiano? É comum para muitos de nós que a resposta seja negativa para ambas as perguntas.

Hoje, já sabemos que não conhecer a si mesmo é um grande erro, mas não costumamos falar sobre nossas emoções e sentimentos. Como consequência, acabamos suprimindo as sensações e causando diversos problemas na vida afetiva, pessoal e profissional. Tal comportamento indica a falta de inteligência emocional.

 

Por que ocultamos as emoções?

Primeiro por falta de uma educação orientada para gestão de conflitos desde a infância e, naturalmente, porque evitamos situações que incomodam. Devido a isso, externar sentimentos e reações embaraçosas deixa a pessoa vulnerável, sentindo-se fraca e exposta ao julgamento alheio. Outro fator é o medo de ser rejeitado, julgado ou diferente por sentir algo.

Por fim, a Psicologia nomeia a dificuldade de expressar emoções e sentimentos como alexitimia. Essa condição impede que o indivíduo identifique, demonstre e nomeie o que está sentindo. Normalmente, está ligada a outros transtornos psicológicos como a depressão, esquizofrenia e transtorno do estresse pós-traumático.

 

Encarando a si mesmo

Primeiramente, saiba que todas as emoções devem ser sentidas, sejam elas confortáveis ou não. Não faria sentido existir alegria se a tristeza não existisse.

Uma boa forma de desenvolver a inteligência emocional é aprender a descrever o que está sentindo. Por exemplo, você pode criar um diário e escrever as situações que lhe incomodam, escolher uma ou mais palavras que descrevam o que sentiu naquele momento e se apresentou algum sintoma físico (dor de cabeça, náusea, etc).

O equilíbrio passa por momentos bons e outros nem tanto. Muitas pessoas confundem saúde emocional com nunca passar por dificuldades. A vida é feita de situações positivas e negativas, não há como fugir disso. Então, crie uma relação benéfica com seus dias ruins.

Cultive o diálogo. Não tenha medo em deixar claro para a outra pessoa que algo te desagrada, também pratique a gratidão e o carinho se a circunstância for divertida. E lembre-se de não se importar com a opinião alheia. Ninguém tem o direito de te criticar por um sentimento só seu.

Pare de reclamar. Reclamações usam muita energia, porém não é nada produtivo. Portanto, foque na ação. Procure ações práticas para resolver seus problemas internos e externos.

Descontrua padrões prejudiciais. Você sempre pode melhorar seus hábitos, pensamentos e buscar por comportamentos saudáveis. O seu passado não te define, sendo assim entenda que repetir práticas tóxicas é insistir no erro.

A ajuda profissional sempre é bem-vinda. Não sofra por sintomas que possuem tratamento, aprender a lidar com as emoções é essencial para o seu bem-estar.

Como psicóloga e hipnoterapeuta, afirmo que a hipnoterapia é uma ótima ferramenta para esses casos. Enfrentar emoções é olhar para dentro de si mesmo, em busca de maior equilíbrio e reconhecimento de seus recursos individuais.

Compartilhar: