É possível que cada um de nós venha a experimentar algum nível de estresse ao longo de sua trajetória de vida. É importante lembrar que o que é estressante para você, pode não ser para os outros, essa percepção é individual. Você também pode ter sua própria maneira de gerenciar esse estresse.

A intensidade e a duração de sua resposta ao estresse dependerão de muitos fatores internos que vão desde sua personalidade e carga emocional vivida até seu sistema de apoio.

O estresse é uma necessidade evolutiva, pois através dele nos permitimos mudar, ajustar, porém, muitas vezes, tende a parecer desagradável. Mas o importante de fato é que pode ser gerenciado. Mas quando não é, pode gerar transtorno de estresse agudo ou crônico.

 

Mas o que é estresse?

O estresse é a resposta natural do corpo a um agente estressor (uma pessoa, uma situação real ou não). Ou seja, diante de um gatilho interno ou externo você pode experimentar o estresse e pressão física, emocional ou mental.

Por exemplo, em uma situação perigosa, o estresse coloca seu corpo no modo “lutar ou fugir”. Nesse estado de alerta elevado, seu corpo e cérebro estão fazendo todo o possível para aumentar suas chances de sobreviver a essa ameaça percebida ou real. Aqui o estresse tem uma função nobre, de sobrevivência.

Você também pode ter uma reação de estresse a eventos que podem não ser fatais, como prazos de trabalho ou tarefas escolares. Nesses cenários, quando bem gerenciados, o estresse pode ajudar tendo um potencial ideal para o resultado positivo. Geralmente é chamado de eustresse.

Só que quando passa do ponto, você pode se sentir sobrecarregado e incapaz de lidar, nos referimos a isso como angústia. Ela pode afetar sua saúde mental e sensação de bem-estar, trazendo impacto do sofrimento na sua saúde mental. Agora tornou-se negativo, então é chamado de distresse.

O estresse contínuo mantém seu sistema nervoso sobrecarregado. Seus níveis de cortisol e adrenalina estão aumentando constantemente em níveis mais altos, e seu corpo e mente não têm a oportunidade de relaxar.

Alguns sinais e sintomas de estresse crônico incluem:

Dificuldade em dormir; dores de cabeça frequentes; irritabilidade; confusão mental; ansiedade; depressão; condições físicas como refluxo ácido, doenças cardiovasculares e distúrbios cognitivos.

Mudanças extremas na vida, como uma pandemia, também podem desencadear reações intensas de estresse em muitas pessoas.

Qualquer estímulo que você experimente ao longo do dia tem o potencial de ativar uma resposta ao estresse.

Hipoteticamente, se você procrastinou sua apresentação de trabalho e se viu despreparado na frente de seus chefes, pode sentir todos os três tipos de estresse simultaneamente: a reação de estresse físico de uma dor de estômago causada pelos nervos; o estresse psicológico de se preocupar que isso acabe com suas chances de promoção; e o estresse psicossocial de temer o ostracismo por não ter um desempenho no padrão esperado.

Sua personalidade também desempenha um papel importante na narrativa emocional que você cria em torno de estímulos de estresse.

Se o evento estressante estiver em andamento, seu corpo liberará o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), que faz com que as glândulas adrenais liberem cortisol. O cortisol mantém seu corpo nesse estado de alto desempenho até que o perigo passe.

Às vezes, o corpo fica tão empolgado com o cortisol que não consegue desligar seu alto estado de alerta, mesmo depois que a ameaça desaparece.

 

Considere estas dicas para gerenciar melhor sua reação ao estresse:

  1. Dê um passeio na natureza

Um parque; um banco debaixo de uma árvore; um quintal de um amigo, aquilo que for possível.

  1. Aprenda novas técnicas de respiração

Talvez o maior apaziguador de estresse e mais acessível esteja embutido em seu corpo. Respiração profunda e técnicas de respiração, como a respiração abdominal, sinalizam ao seu cérebro que é hora de relaxar.

  1. Desenvolva rotinas que funcionem para você

Desenvolver uma rotina sólida que promova seu bem-estar físico e mental.

Quando você sabe que certas partes do seu dia estão garantidas, isso evita decisões de última hora que podem resultar em estresse.

  1. Desligue as telas azuis

Para reduzir o uso do telefone, considere estabelecer limites para o tempo que você passa com ele, principalmente antes de dormir.

  1. Organize seus gatilhos de estresse

Ignorar tarefas desagradáveis ​​pode parecer mais fácil do que enfrentá-las no momento. Mas não resolver as coisas à medida que elas surgem, pode sobrecarregar sua mente com estresse.

  1. Quando procurar ajuda

Se você sente que o estresse está afetando sua vida cotidiana, talvez seja hora de procurar ajuda profissional.

Compartilhar: