Com o surgimento de novas ferramentas no meio digital e de um público cada vez mais atento à conduta dos perfis seguidos, os criadores de conteúdo e as marcas precisaram buscar alternativas para prender a atenção dos usuários e estimular o engajamento, tudo isso de forma responsável, consciente e sem que esse estímulo fosse nítido.

Foi então que os gatilhos mentais começaram a fazer parte das campanhas de publicidade e das parcerias com influenciadores digitais, sendo o gatilho da escassez o mais famoso. Mas até que ponto é benéfico para uma pessoa sentir que está faltando algo em sua vida e que precisa urgentemente adquiri-lo?

 

O que são os gatilhos mentais?

Esse conhecimento vem da Psicologia, já que gatilhos são estímulos que agem no cérebro gerando sensações. Quando um gatilho é acionado, nosso cérebro entende que precisa agir diante daquilo. Como os seus efeitos acontecem de forma inconsciente e podem ser positivos ou negativos, eles precisam ser usados com responsabilidade.

Profissionais de marketing utilizam gatilhos mentais nas campanhas justamente por esse estímulo à ação – no caso das propagandas, à compra. Por meio de palavras específicas posicionadas em lugares propositais da jornada do usuário, eles persuadem o cliente a concluir a compra do produto.

 

Gatilho da escassez

O gatilho mental mais utilizado dentro da internet é o gatilho da escassez. Esse estímulo cria a sensação de perda de algo único ou exclusivo, e o cérebro entende que não pode deixar que isso aconteça, fazendo a tomada de decisão ser mais rápida.

O exemplo do marketing é o mais fácil de identificar, mas estamos expostos a essa influência em grande parte dos conteúdos online. Ao sentir a necessidade de assinar uma plataforma de streaming apenas para ter acesso a uma série famosa, ao desejar uma viagem porque o destino se tornou destaque nas redes sociais, e até ao desejar uma aparência diferente da sua.

 

Até que ponto vale a pena?

O uso do gatilho da escassez é eficaz. Afinal, quem nunca viu uma propaganda parecida com as citadas acima e teve uma reação semelhante? O único problema está no sentimento perpétuo de insuficiência que ele causa. ¨Preciso ter¨, conquistar para ¨pertencer¨ ou mostrar a alguém que cheguei ¨onde queria¨! No mundo em que vivemos, onde há tantos estímulos concorrentes em importância, quem ganha fama na internet passa na frente. Será que a decisão de adquirir aqui é racional?

Então, de agora em diante, esteja atento ao que passa pela sua tela e suas reações, desejos, anseios, sensações. Se desejar fazer algo, vir uma promoção e puder comprar, pense se você realmente quer, precisa e se essa atitude realmente soma a sua vida. Ou apenas lhe aliena da sua realidade.

 

Compartilhar: