Você saberia dizer se você ou alguém à sua volta está em um relacionamento abusivo? Os sinais de uma relação assim não se limitam apenas a um tipo de agressão.

Muitas vezes há a soma de violências na esfera psicológica, física, sexual e financeira. Algumas se dão de forma mais sutil e muitas vezes nem a própria vítima percebe o que está acontecendo. Todavia, o abusador tem plena consciência das ações e de suas intenções em prejudicar o outro.

Um relacionamento abusivo se caracteriza quando um dos lados se sobrepõe em relação ao outro, através da manipulação, mentiras, ameaças e agressões (verbais ou não).

Vale ressaltar que o comportamento abusivo não está restrito a um gênero ou sexualidade, ou seja, também pode haver parceiras abusivas ou casais homoafetivos que passam pelos mesmos problemas.

Ao estar inserida nessa situação, a pessoa pode começar a apresentar problemas e desajustes até mesmo em outras áreas da vida que não estejam relacionadas com a vivência amorosa, como trabalho ou estudos.

 

Como identificar um relacionamento abusivo?

Um relacionamento abusivo se inicia bem antes do primeiro empurrão ou tapa. A agressão física faz parte de um estágio mais grave do abuso, mas não reduz a importância dos sinais que vem antes.

É comum que o abusador não tenha abertura para diálogo (independentemente do assunto). Ele manterá o tom de voz mais alto, uma postura intimista e chantageadora, com a intenção de deixar a vítima desconfortável, invalidando qualquer tipo de contra-argumentação sugerida pela vítima.

Muitos abusadores apresentam ciúme excessivo e vontade de controlar totalmente a vida da outra pessoa. Nestes momentos, pode ocorrer a invasão de privacidade, quando o indivíduo exige saber com quem a parceira conversa e o que ela faz. Ele pode até mesmo vasculhar o celular ou outros itens pessoais.

A vítima muitas vezes se vê isolada, principalmente dos grupos de amigos e familiares. A situação torna-se mais sufocante com a invalidação de sentimentos, pois para o abusador que está no controle da situação não importa se a companheira está feliz ou não, desde que ele esteja.

E isso inclui a realização dos desejos e vontades dele. É neste momento que a violência sexual pode aparecer, quando apenas o abusador deseja ter relação sexual e ele força a vítima a ceder, com chantagens ou ameaças.

Outro sinal não tão fácil de identificar é a baixa autoestima da vítima. Aos poucos o companheiro vai alimentando as inseguranças e medos, com a intenção de mostrar ser “o melhor”. Vale lembrar que nesse processo o abusador reafirma muitas vezes que apenas ele entende a companheira ou que ela só precisa dele para viver.

Em alguns casos os relacionamentos abusivos também podem envolver dinheiro, seja por controle financeiro de uma das partes, uso e gastos sem acordo conjunto ou mesmo roubo e destruição de itens pessoais.

Quando essas características não são percebidas de início (seja pela vítima ou por terceiros), o quadro pode evoluir para ameaças e até agressões físicas. Infelizmente não é raro vermos casos de parceiros que assassinaram as companheiras.

Se caso você tenha se identificado com alguma dessas passagens, procure ajuda! Saiba que você não precisa lidar com isso sozinha(o), há muitas pessoas que podem te ajudar a dizer um basta para o abusador.

Compartilhar: